Sena Madureira


More

by : Figueroa Xavier

O diretor do Centro de Informação da ONU no Brasil, Giancarlo Summa, disse que o título é somente concedido pelas Nações Unidas e, em hipótese alguma, por quaisquer entidades externas ao próprio Sistema ONU.
Durou pouco a “emoção” de Marcos Feliciano com a “homenagem” que recebeu da Federação Brasileira dos Direitos Humanos. À 1h07,  início da madrugada de sexta-feira (5), o deputado-pastor expôs no Twitter, conforme noticiado aqui, o “diploma” que recebera da entidade horas antes. Nove horas depois, já haviam sumido do microblog de Feliciano a foto do “diploma de defensor dos direitos humanos” e a nota em que ele dedicava o feito ao Todo-Poderoso —“A Deus toda glória!.” Os vestígios foram apagados porque, no início da noite passada, o “homenageado” já havia se dado conta de que a frase que ornava com o episódio era outra: Adeus toda glória!.

Chama-se Elizeu Simões Fagundes Rosa o presidente da entidade que “diplomou” Marco Feliciano (PSC-SP). Trata-se de um personagem conhecido das autoridades federais que cuidam de apurar e processar delitos. Elizeu foi investigado e indiciado pela Polícia Federal em quatro inquéritos. Todos resultaram em ações do Ministério Público Federal. Em pelo menos duas dessas ações, o signatário do “diploma” de Feliciano já desceu ao banco dos réus –uma civil e outra penal.

Antes de presidir a federação que reconheceu em Feliciano méritos que poucos foram capazes de enxergar, Elizeu comandou outra entidade: Conselho Federal de Defesa dos Direitos Humanos. Embora o nome insinue, não é uma organização pública. Mas tenta parecer estatal. Em ação civil pública protocolada na 13ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, a procradora da República Luciana Loureiro Oliveira refere-se ao tal conselho nos seguites termos:

“[…] Constituída para ‘promover e defender os direitos humanos’, a entidade desempenha, em verdade, funções do poder público, sem qualquer autorização, ostentando denominação indevida, fazendo uso de símbolos públicos, e, valendo-se de fantasiosas prerrogativas, vem restringindo direitos de terceiros, na exata contramão dos objetivos que prega – a defesa dos direitos humanos.” A peça da procuradora Luciana pode ser lida aqui.

Em outro trecho, a petição fala de dinheiro: “Não bastasse a ilegalidade que reveste vários dos dispositivos do estatuto do Conselho Federal de Defesa dos Direitos Humanos, a entidade […] arregimenta pessoas incautas para que realizem cursos, chegando ao ponto de lhes prometer um fictício ‘emprego público federal’, acenando-lhes com possíveis salários de R$ 10 mil para ‘Delegado de Direitos Humanos’, R$ 6 mil para o cargo de ‘Defensor dos Direitos Humanos’ e R$ 3 mi para ‘Agente’, tudo conforme cartas acostadas ao Inquérito Policial.”

Luciana prossegue: “Dessas pessoas são igualmente cobradas taxas de inscrição nos valores de R$ 140,00 e R$ 80,00 para os cargos de ‘Delegados’ e ‘Defensores’, respectivamente. Além disso, a entidade ainda cobra o valor de R$ 30 para subsidiar a confecção das ‘carteiras funcionais’, como demonstram os recibos coletados no referido inquérito. Em termos bem simples, a entidade ré, com essas práticas, patrocina verdadeiro estelionato…”.


Posted on : [0] comments Label:

Baladaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

by : Figueroa Xavier
Posted on : [0] comments Label: , , , , ,

Teste

by : Figueroa Xavier

by : Figueroa Xavier

Na tarde deste sábado (9), por volta das 15:00 horas , Policiais Militares do Batalhão de Sena Madureira-AC prenderam em flagrante Everton Teixeira da Silva(20) Autobeli Teixeira da Silva(21),Assis Gustavo Pereira de Santana (19), e ainda apreenderam três escopetas e 5 cartuchos intactos, sendo que o séxto cartucho       foi deflagrado por um dos marginais, na tentativa de intimidar a guarnição na hora de adentrar a mata fechada.
Depois de efetuarem buscas nas imediações do escoderijo do bando, foi localizado uma roçadeira Sthil e uma caixa de som amplificada. Segundo informações da polícia, eles estariam envolvidos em um esquema de roubo, furto receptação comandado por Gustavo Pereira o Gustavinho, que era o chefe da quadrilha

Na operação  policial a guarnição foi comandada pelos Sargentos Rodrigues e Marcos Santos, apoiados pelos soldados Campelo, Da silva e Castro
 alt
 Os acusados são moradores do bairro Cristo Libertador e já foram preso por porte de arma, roubo e tráfico de drogas. Depois da prisão  e das buscas, todos eles foram conduzidos a Delegacia de polícia Civil para as providências Cabíveis.


Fonte:
AC Purus


by : Figueroa Xavier

Uma fatalidade registrada na manhã desta segunda-feira (4), na Rua Dom Giocondo, Bairro Cristo Libertador em Sena Madureira. Por pouco não ceifou a vida de um menino de apenas 12 anos de idade, atingido com um tiro de escopeta na cabeça.
 
Segundo informações, a criança se encontrava em casa na companhia de um irmão de 16 anos, quando houve o incidente.
 
Inicialmente, a notícia que surgiu é de que alguém teria jogado uma bomba caseira dentro da residência, ferindo o menino.
Mas ao atender a ocorrência, a Polícia Militar confirmou se tratar de disparo de arma de fogo.
 
Socorrido, a vítima foi encaminhada em estado grave para o hospital João Câncio Fernandes, onde recebeu os primeiros atendimentos e, em seguida, por conta da situação complicada, precisou ser encaminhado para o Pronto Socorro de Rio Branco.
O senhor Moacir, pai do menino, disse que não estava em casa no momento do ocorrido e que ficou sabendo do caso por meio de um telefonema.
“Ainda não sei direito como aconteceu. Quando me avisaram, vim correndo aqui pro hospital. Temos que confiar em Deus e pedir por sua recuperação”, comentou emocionado.
 
O outro rapaz que estava na residência foi encaminhado para a unidade de segurança pública de Sena Madureira, para fins de averiguação.
 
Informações e Foto: ACPurus